HOME SOBRE CONTATO ANUNCIE

Dia Mundial dos Animais

4.10.12

 

Hoje é o Dia Mundial dos Animais

Eu adoro bichos, mas meu preferido é cachorro!!!! Não temos cachorro porque aqui no apto seria complicado, mas minha mãe tem dois cachorros que amo muito e quando eu era pequena fui adotada pelo cachorro da vizinha: O Hendy! Nome que eu dei. Vi ele nascer. A separação entre os pátios era de cerca de madeira e estava sempre quebrada em algum lugar. Lembro que tinha uma pedra num buraco e eu tirava, chamava ele e nós corriamos pela rua. Por anos ele me seguiu aonde eu ia, até quando eu não queria. Pedimos ele pra vizinha mas ela não quis dar. Teve uma vez que ficou doente e aí eles já tinha muro, eu pulava pra dar remédio e comida pra ele. Foi o primeiro cachorro que amei. Um tempo depois ela largou ele num outro bairro e dias depois ele voltou. Fiquei tão feliz. Mas aí ela levou ele para outra cidade. E nunca mais nos vimos, chorei muito e fico emocionada só de lembrar. Sei que ele me amava. Ele dormia debaixo da minha janela, quando eu acrodava de manhã e abrir ele olhava pra cima e tipo me dava “bom dia”.. Só faltava falar português!!! Não tenho uma foto dele porque a vizinha nunca quis me dar e minha mãe deixou de revelar várias fotos que agora estão perdidas. Achei uma figura de um cachorrinho parecido com ele. Ele era lindo. Sei que nesta altura da vida já morreu a anos, e deve ter pensado que o abandonei. Hendy sempre vou ti amar!


"MIMOSA"

Um jornal noticiou:
"Perdeu-se uma cadelinha.
É branca, toda branquinha,
Com uma fita cor-de-rosa.
É bem mansinha e atende
Pelo nome de "Mimosa".
"Gratifica-se" - dizia -
"Com generosa quantia
A quem entregar"... e dava
O endereço afinal.

O homem larga o jornal
E se põe a comentar:
- "Não há dúvida, é você,
Pois isso logo se vê:
Branquinha, de fita rosa ...
Então, seu nome é Mimosa?
Assenta bem pra você!"
E afagando a cachorrinha,
que no seu colo se aninha:

- "Ora essa, é muito boa!
Deixaram você à toa
E depois vêm com a cantiga?
Mas isso não, minha amiga,
Não vou entregar é nada,
O castigo é merecido.
Se fosse bem vigiada,
Você não tinha fugido.

E quem foi que a socorreu
Quando andava aí perdida?
Portanto você nasceu
Foi nesse dia, querida!
Triste, suja, enlameada,
Faminta, correndo à toa,
Podendo ser esmagada
Aos pés de qualquer pessoa...
E eu salvei-a do perigo!
Não lhe dei comida, abrigo
E tudo, de coração?

Pois dizem que é generosa
A tal gratificação!
Mas isso a mim não me tenta,
Jogo o dinheiro na venta
De quem me tirar você,
Pois o seu dono sou eu.
O antigo dono seu...
Bem, há de se consolar!
Pegue a gratificação
E corra, e compre outro cão,
Que cães não hão de faltar,
Com você eu é que fico!
Capaz de ele ser bem rico,
E ter de tudo na vida,
Uma família querida.
Mas eu sozinho, solteiro...
E do "metal" nem o cheiro!
Escuta aqui, ó tetéia,
Posso ser um vagabundo,
Mas não há ouro no mundo
Que mude aqui minha idéia.

Mas toda vez lá saía
A notícia no jornal:
O outro não desistia
De encontrar o animal.
E cada dia aumentava
O prêmio pela Mimosa.
Cem mil reais andava,
Oferta bem generosa!

O homenzinho então lia,
A cachorrinha afagando
E bem alto, comentando:
- "És uma jóia!" - E ria.
"Que prêmio por seu sumiço!
Deixe porém que eu lhe diga:
Você, você, minha amiga,
Vale bem mais que isso!"
Como entendesse, Mimosa
Abana a cauda vaidosa.

Os dias se sucediam,
E sempre o preço subiam
Pela cachorra perdida.
E o homem punha-se a rir:
- "A coisa está divertida!"

Fazia já quinze dias
Que a cadelinha fugida
Vivia uma outra vida.
Não faltando à condição
De seu sexo volúvel,
Espera ali, no portão,
Novo dono e pressurosa
Salta lambendo-lhe a mão.
E ele ri satisfeito
Aconchegando-a ao peito
Com carinho e com ternura,
Começa então a leitura.

Mas súbito empalidece
Hoje ele não escarnece
Treme na mão o jornal...
Dessa vez o homem não riu
Pegou Mimosa e saiu
Foi entregá-la afinal.

É que não fala em dinheiro
A notícia nesse dia,
Apenas isto dizia:

"Pede-se à alma bondosa,
Que encontrou a Mimosa,
Que a entregue por piedade.
Sua dona é pequenina,
Tem seis anos a menina,
E adoeceu de saudade."

Autora: Magdalena Léa
Livro: "A Criança Recita"

E você tem ou teve algum animal de estimação? Divida conosco sua história!!!

5 comentários:

  1. FELIZ DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS!!! Eles merecem muito este dia, são uns fofos e nunca nos deixam por nada desse mundo!
    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Olá! Gostei muito do teu blog.Eu tive um cão de nome Diks , era Aquita com pastor alemão .Era muito amigo e manso,tão manso que era amigo até dos gatos estranhos ,imagine com o gato de casa,dormiam junto ,aquele enorme cão com o gatinho.Infelizmente ele morreu.
    Espero a tua visita no meu blog.Abraço

    ResponderExcluir
  3. SÓ FALTA MAIS RESPEITO COM ELES NÉH?!!!NÃO ADIANTE TER O DIA DOS ANIMAIS E ELES CONTINUAREM SENDO MALTRATADOS.

    ResponderExcluir
  4. trabalhei numa escola franciscana em Santa Maria e muito falávamos sobre isso!
    Temos sim que cuidar muito bem dos animais

    ResponderExcluir

© Odisséia Materna / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design
Tecnologia do Blogger.