HOME SOBRE CONTATO ANUNCIE

Saúde incentiva criação de salas de apoio à amamentação nas empresas

11.10.12

 

 

Os ministérios da Saúde e do Planejamento e a Sociedade Brasileira de Pediatria estão incentivando empresas a implantar salas de apoio à amamentação para mães que voltam ao trabalho. Com essa iniciativa, o retorno não se torna um momento tão doloroso e o tempo de aleitamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de até os dois anos ou mais, pode ser respeitado.

Uma das ações é a parceria dos ministérios na elaboração e envio de um documento para mobilizar as empresas estatais. Outra é a criação de oficinas nos estados e municípios para formar profissionais capacitados a criar os novos ambientes.

Todos ganham com as salas de amamentação. A mulher falta menos ao trabalho porque seu filho adoece menos, podendo retirar o leite e continuar amamentando. O bebê continua recebendo o leite materno, que possui anticorpos que previnem doenças, e por outro lado, as empresas demonstram valor às suas funcionárias ao reservar um espaço neste momento tão especial, esclarece a coordenadora de Aleitamento Materno, Fernanda Monteiro.

As salas de apoio são espaços dentro da empresa em que a mulher, com conforto, privacidade e segurança, pode esvaziar as mamas, armazenando seu leite em frascos previamente esterilizados para, em outro momento, oferecê-lo ao seu filho. Esse leite é mantido em um freezer a uma temperatura controlada até o fim do dia. Cada recipiente é etiquetado, identificando o nome da mãe, a data e a hora da coleta. No fim do expediente, a mulher pode levar seu leite para casa para que seja oferecido ao filho ou pode ainda doá-lo a um Banco de Leite Humano.

Em 2010, o Ministério da Saúde, juntamente com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), regulamentou a implementação das salas de apoio à amamentação nas empresas por meio da Nota Técnica Conjunta nº 01/2010. A sala não exige uma estrutura complexa. Por isso, sua implantação e manutenção são de baixo custo. Além disso, todos são beneficiados: mães, bebês e empresas.

Oficinas de capacitação– O Ministério da Saúde vem realizando as oficinas de capacitação nos estados e municípios com interesse em adotar a ação. As capacitações consistem em formar profissionais para sensibilizarem gestores e patrões de instituições públicas e privadas sobre as variadas formas de se apoiar a amamentação no ambiente profissional.

Esses profissionais são capacitados a apoiar, orientar e supervisionar a implementação de salas de apoio à amamentação nas empresas, a adoção ao programa Empresa Cidadã com a implementação da licença maternidade de seis meses, entre outras ações de apoio à mulher trabalhadora que amamenta.

Resultados – O Ministério da Saúde também iniciou, no mês passado, uma parceria com a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano para implantarem salas de apoio à amamentação nas maternidades onde existem os bancos. As oficinas iniciadas a menos de um mês já dão resultados. O primeiro a inaugurar a sala de apoio foi o Banco de Leite Humano do Instituto Materno Infantil de Pernambuco (IMIP), em Recife. O Hospital Memorial de Guararapes, também em Recife, já inaugurou uma sala de apoio à trabalhadora que amamenta.

Amamentação – A recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que o aleitamento materno seja exclusivo até os seis primeiros meses de vida do bebê e a amamentação até os dois anos de idade ou mais. Pesquisa divulgada em 2009, do Ministério da Saúde, mostrou que 34% das mães com bebê menor de um ano e que trabalham fora de casa não amamentam mais a criança. Enquanto que as mães que não trabalham fora, esse índice é menor, de 19%.

Qunado eu fui treabalhar em abril a empresa não tinha nem a sala de apoio à amamentação e nenhuma outra, o jeito foi tirar leite no banheiro de pé. Foram 2 semanas bem complicadas, um dia tentei não tirar, mas a dor foi horrível. Depois por problemas familiares acabei saindo de lá. Acredito que as estatais (que ainda não tem) serão as primeiras e nas emrpesas privadas será mais demorado, assim como é a licença maternidade de 6 meses.

E a sua empresa, ela tem sala de apoio a amamentação? Nos conte é na sua empresa.

Fonte: Portal do Planalto e Ministério da Saúde

3 comentários:

  1. Nossa isso deveria ser prioridade em todos os lugares!

    ResponderExcluir
  2. Isso seria tão MARAVILHOSO principalmente para aquelas mães que não podem parar de trabalhar pra ficar com os filhos!!!

    Beijos Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu super apoio essa ideia,é um momento mto especial para a mãe e o bebê,que mtas infelizmente tem que abrir mão mais cedo por causa do trabalho.Bjs

    ResponderExcluir

© Odisséia Materna / Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design
Tecnologia do Blogger.